DC-05. A doutrina do Espírito Santo

Nesta lição damos destaque ao Espírito Santo e sua obra em nossas vidas. Ao contrário do que alguns ensinam ou imaginam, o Espírito Santo não é uma “energia” ou um “poder” impessoal. A Bíblia revela o Espírito Santo como uma pessoa, com sua própria individualidade: ele é inteligente (1Co 2.10-11), tem emoções (Ef 4.30, Hb 10.29) e vontade (1Co 12.11); ele ensina (At 13.4), ele dá ordens (At 8.29), ele intercede (Rm 8.26), ele fala (Jo 15.26; 2Pe 1.21).

A  divindade do Espírito Santo pode ser provada pelos seus nomes, relacionados em pé de igualdade às demais pessoas da Trindade (Mt 28.19; 1Co 6.11; 2Co 13.13) e pelos atributos divinos de eternidade (Hb 9.14), onisciência (1Co 2.10-11), onipresença (Sl 139.7), onipotência (Gn 1.2), verdade (1Jo 5.6), santidade (Lc 11.13), vida (Rm 8.2) e sabedoria (Is 40.13).

O Espírito Santo é o inspirador da revelação divina registrada na Bíblia (2Pe 1.21; 2Sm 23.2-3; 2Tm 3.16; Mc 12.36; At 1.16; Hb 3.7, 10.15-16; 1Co 14.37).

O Espírito Santo realizou a concepção de Jesus no ventre de Maria (Lc 1.35); ele ungiu Jesus para seu ministério terrestre (Mt 12.28; Lc 4.1, 18; Jo 6.27; At 10.38), atuando inclusive em Sua morte e ressurreição (Hb 9.14; Rm 8.11; 1Pe 3.18).

Na vida do cristão, o Espírito Santo é o agente da salvação: quando incrédulos, ele nos convence do pecado (Jo 16.7-8); após convertidos, ele nos revela a verdade sobre Jesus (Jo 14.16,26) e realiza o novo nascimento (Jo 3.3-6), fazendo-nos  membros do corpo de Cristo (1Co 12.13),  co-participantes da natureza divina e co-herdeiros de Cristo (2Pe 1.4; Ef 1.13,14).

 

 A habitação do Espírito Santo em cada um de nós

É muito importante que você compreenda que, a partir do momento em que você creu em Jesus como Senhor e Salvador, o Espírito Santo passou a habitar em você! Essa é uma doutrina muito clara na Bíblia: leia por exemplo Jo 14.17, 1Co 3.16; Ef 1.13. É essa habitação do Espírito Santo em nós que produz a regeneração do nosso espírito (o novo nascimento) e desperta em nós o desejo de aprendermos mais com Jesus e nos tornarmos mais parecidos com o Mestre.

Através da Sua habitação no cristão, o Espírito Santo nos leva à santificação (1Co 6.19), testifica que somos filhos de Deus (Rm 8.16), nos ajuda na oração e adoração a Deus (At 10.45-46; Rm 8.26-27; Fp 3.3), nos ensina toda a verdade (Jo 14.26,16.13; 1Co 2.10-16), nos transmite o amor de Deus (Rm 5.5) e nos dá consolação e alegria (Jo 14.16; Rm 14.17; 1Ts 1.6). Ele capacita com poder e dons espirituais a todo o cristão que, com fervor, busca servir a Cristo e à Sua Igreja (At 1.8, 2.39; 1Co 12.11).

Alguns erradamente ensinam que a habitação do Espírito Santo não ocorre ao receber Cristo pela fé, mas somente quando o cristão recebe o batismo no Espírito Santo. Mas Rm 8.9 declara que “quem não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Portanto, aquele tipo de ensino equivale a dizer que a fé em Jesus não é suficiente para salvar (seria preciso o batismo no Espírito Santo), o que seria uma heresia.

 

O batismo no Espírito Santo

O Senhor Jesus Cristo é quem batiza seus discípulos no Espírito Santo, com o propósito de capacitar-nos com o poder necessário para servi-lo (Mt 3.11; Lc 24.49; At 1.8). O batismo no Espírito Santo está disponível para todos os cristãos, nascidos de novo pela fé em Cristo, e que portanto receberam o Espírito Santo para neles habitar.

O batismo no Espírito Santo é distinto da regeneração espiritual produzida pelo mesmo Espírito no momento da conversão: p.ex., Jesus primeiramente concedeu o Espírito Santo para regeneração dos discípulos (Jo 20.22) e posteriormente os instruiu para receberem o batismo no Espírito Santo (Lc 24.49; At 1.5,8).

Trata-se de uma experiência única e especial, um dom recebido pela fé fervorosa, numa atmosfera de ardente esperança e total entrega a Jesus Cristo, conforme atestado pela experiência de milhões de cristãos pentecostais. O falar em outras línguas é descrito no livro de Atos como evidência inicial do batismo no Espírito Santo (At 2.4; At 10.44-46, 19.6).

O batismo no Espírito Santo concede ao cristão poder celestial para realizar grandes obras em nome de Cristo e ser eficaz no seu testemunho e pregação (At 1.8, 2.14-41, 4.31, 6.8; Rm 15.18-19; 1Co 2.4), além de torná-lo mais sensível contra o pecado, mais desejoso de orar e interceder, tendo maior amor e entendimento da Palavra de Deus.

Após ter recebido o batismo no Espírito Santo, o cristão deve conservá-lo e renová-lo mediante uma vida santificada em oração, testemunho e adoração (At 4.31,33; Ef 5.18-19).

O que você acha? Contribua com um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s