Visão da “Ekklesia”

maosdadasOs seguintes pontos resumem nossa visão sobre a Igreja (no grego “Ekklesia”), a partir da estrita observância do padrão divino registrado no Novo Testamento (isto é, sem qualquer consideração a tradições extra-bíblicas que foram sendo gradualmente incorporadas ao longo da história da Igreja).

1. O QUE É IGREJA

Em sua expressão universal, é a totalidade de pessoas recebidas por Deus como filhos e filhas, mediante a fé em Jesus Cristo como seu Salvador, Senhor e Deus (Mt 16:16-18; 10.40; 18.20; Jo 1.12). Em sua expressão local, é uma comunidade que manifesta a pessoa maravilhosa de Cristo Jesus em seus relacionamentos individuais e coletivos com Deus, com os irmãos e com o mundo (Jo 13.35; Mt 5.16; Fp 2.15).

2. A ORIGEM DA IGREJA

A igreja nasceu antes da criação, no coração de Deus, que desejou expandir e compartilhar sua vida e comunhão eternas (Mt 25.34; Ef 1.4-5; Ef 3.9-12).

3. O PROPÓSITO ETERNO DE DEUS PARA SUA IGREJA

O propósito eterno de Deus para Sua Igreja é que ela seja a esposa e o corpo de Cristo, e também a família e a casa de Deus (Jo 3.29; Ap 19.7-8; 21.2-3; 22.17; 1Co 12.27; Ef 1.22-23; Ef 2.19-22; 3.15).

4. FUNÇÕES DA IGREJA NA TERRA

Glorificar a Deus através da expansão do Seu Reino, andando em amor, reproduzindo discípulos de Cristo e servindo os necessitados (Gn 1.27-28; Mt 5.16; Mt 28.19; Tg 1.26-27; Dt 10.12; Os 6.6; Mc 12.29-33).

5. O PADRÃO DE DEUS PARA A IGREJA

O padrão da Igreja é Cristo. Para a noiva ele é o noivo; para o corpo ele é a cabeça; para a família ele é o primogênito e para a casa ou templo ele é o fundamento (Col 1.15-18; Rm 8.29; Ef 4.13, 5.1; 1Co 11.1; 1Ts 1.6; 1Co 3.11).

6. A AUTORIDADE E LIDERANÇA NA IGREJA

A autoridade suprema da Igreja é Cristo (Mt 28.18; 1Tm 2.5). Deus delega autoridade espiritual aos líderes que ele chama para servir a comunidade (Ef 4.11-12; 1Co 12.28; Tt 1.5; 1Tm 5.17; 1Pe 5.1-3). A autoridade dos líderes é reconhecida pela comunidade, de acordo com o nível de entrega e serviço que eles prestam aos santos (At 11.26; 15.35; 18.11; 1Ts 5.12-13; Fp 2.29-30; At 20.37-38). A autoridade na igreja local deve ser sempre coletiva, exercida por um grupo de irmãos maduros na fé, e nunca exclusiva de uma única pessoa (Ef 4.11; Tt 1.5; Hb 13.17 – note o plural A palavra “pastor”, “presbítero” ou “ancião” somente ocorre no plural no NT, quando aplicada a uma igreja local). As decisões da comunidade sobre problemas e questões importantes devem ser tomadas em consenso, após expor os diferentes pontos de vista e buscar a direção do Espírito Santo (At 15.6, 22-23).

7. FINANÇAS DA COMUNIDADE

Cada membro da comunidade deve contribuir com ofertas, feitas voluntariamente de acordo com seus recursos financeiros (2Co 8.11-12; 9.7). As ofertas serão destinadas com prioridade para a realização das funções da igreja (tópico 4). De acordo com o crescimento e capacidade financeira da igreja, parte das ofertas poderá ser destinada para remuneração de líderes que necessitarem da mesma (Lc 10.7; 1Tm 5.17-18; 1Co 9.4-14). Toda movimentação financeira deverá ser feita com absoluta transparência e prestação de contas pelas pessoas que a comunidade designar para tal tarefa (2Co 8.21).

8. A EDIFICAÇÃO DA IGREJA

A edificação da Igreja deve ter como eixo central a revelação de “Cristo em vós”, isto é, o fato da vida de Deus implantada em nós e se manifestando através de nós, de maneira individual e principalmente coletiva (Jo 14.18, 20, 23; Cl 1.27; 1Co 3.16; 6.15; Mt 5.16; Ef 3.10; Fp 2.15). O papel central dos líderes da igreja é servir de modelo e capacitar os irmãos para que possam funcionar ativamente como membros do corpo de Cristo (Ef 4.11-12; 1Pe5.1-3).

9. A ESTRUTURA DE FUNCIONAMENTO DA IGREJA

O vinho novo do evangelho requer uma estrutura que o preserve (Mt 9.17). A  estrutura de funcionamento da igreja deve estar baseada em três elementos chave: os “pequenos grupos” (At 2.46; 5.42; Rm 16.10-11, 14-15; Cl 4.15; Fl 1.2), os líderes de pequenos grupos e a equipe de líderes locais. Os “pequenos grupos” formam o núcleo fundamental da igreja. Os líderes de pequenos grupos tratam de servir e edificar os irmãos para que funcionem como ministros no corpo. E a equipe de líderes trata de supervisionar o trabalho como um todo na localidade, preocupando-se com sua frutificação e crescimento.

10. AS REUNIÕES DA COMUNIDADE

Além dos momentos espontâneos de comunhão e vida compartilhada entre os irmãos, as reuniões da “ekklesia” são momentos importantes na vida da mesma. Os principais tipos de reunião são: reunião de “pequeno grupo”, reunião de discipulado e reunião administrativa. A reunião de pequeno grupo tem como finalidade central que Cristo se expresse através dos irmãos, de modo que todos tenham oportunidade de ministrar e serem ministrados (1Co 14.26-31). As reuniões de discipulado (individual e coletiva) têm como objetivo acelerar o processo de maturidade espiritual através do ensino. E as reuniões administrativas envolvem a supervisão geral do trabalho na localidade e a tomada de decisões para a evolução do mesmo.

O que você acha? Contribua com um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s