“Cada um é diferente”: um conceito mundano aceito por muitos cristãos

ego“Seja você mesmo, seja diferente”, “cada um pensa de um modo”, “seja dono da sua vida”, “as minhas verdades não são as mesmas que as suas”, “cada um cuida da sua vida”, “ninguém deve tentar mudar ninguém” … e coisas do gênero, são meias-verdades (ou meias-mentiras) que infelizmente são aceitas por muitos cristãos.

Essa aceitação de algo que deveríamos rejeitar ocorre porque, em primeiro lugar, aquelas frases têm aparência de democracia, de valorização e de respeito pelas pessoas, e em segundo lugar, porque a prática da esmagadora maioria das igrejas é hoje tão egocêntrica quanto a própria sociedade incrédula, de modo que aqueles conceitos individualistas se infiltram no meio cristão e passam totalmente desapercebidos.

É claro que cada pessoa tem uma personalidade única, e essa diversidade maravilhosa é obra de Deus. Mas a questão que tratamos aqui é que, apesar de todos terem personalidades distintas, o caráter dos cristãos deveria ser exatamente o mesmo, em qualquer lugar ou cultura do mundo: o caráter do mesmo Cristo que habita em cada crente, e que se expressa pelo fruto do espírito (Gálatas 5.22-23). Basta ver o exemplo da natureza: todos os animais e plantas da mesma espécie, que possuem o mesmo DNA são MUITO parecidos, apesar de que não exista um idêntico ao outro. Do mesmo modo, nós cristãos somos nova criatura, nova geração, nova espécie humana em Cristo, regenerados pelo DNA divino, portadores da vida de Jesus em nós. Portanto, devemos todos ser MUITO parecidos.

Se nos pautarmos pela verdade bíblica, veremos que um caráter individualista ou egocêntrico simplesmente não têm lugar na igreja de Cristo. Vejamos:

  • O mundo diz: “seja você mesmo”, mas a Bíblia ensina que devemos ter como modelo o “varão perfeito”, Jesus Cristo (Efésios 4.12-13)
  • O mundo afirma: “cada um pensa de maneira diferente”, mas a Bíblia nos exorta a termos o mesmo pensamento (1Coríntios 1.10; 2Coríntios 13.11; Filipenses 2.2)
  • O mundo apregoa “seja dono da sua vida”, mas a Bíblia nos recorda que já não pertencemos mais a nós mesmos, pois fomos comprados por preço de sangue, e já não devemos viver  para nós mesmos (Colossenses 3.3; 1Coríntios 6.19-20; 2Coríntios 5.15)
  • O mundo filosofa: “a verdade é relativa; cada um tem a sua verdade”, mas Jesus Cristo disse: “EU sou a Verdade” (João 14.6)
  • O mundo prega: “ninguém deve tentar mudar ninguém”, mas a Bíblia nos convoca à exortação e edificação mútua, chamando a atenção de algum irmão que estiver andando no erro, ou até mesmo, se for necessário, repreendendo-o publicamente (Lucas 17.3; Gálatas 2.14; 1Coríntios 5.20; 2Timóteo 4.2; Tito 1.13). Nas epístolas do Novo Testamento, que nos ensinam como devemos andar em Cristo, a expressão “uns aos outros” ocorre nada menos que  32 vezes!

Portanto, é um grande erro adotar aquele tipo de postura individualista, não se importando com os irmãos que convivem conosco e deixando de ensiná-los, adverti-los e, se for o caso, repreendê-los, apenas pela conveniência de evitar alguma discussão mais séria, com amor. Também é igualmente grave, quando somos advertidos ou repreendidos por algum irmão por algum erro ou pecado que cometemos, nos fecharmos como ostras e tentarmos nos defender com declarações do tipo “da minha vida cuido eu”. Não! No seio da igreja do Senhor Jesus Cristo, a preocupação, edificação e crescimento mútuo deveriam ser coisa de rotina e motivo de gratidão, não de espanto ou desconforto.

O que você acha? Contribua com um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s